Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Upside Down

Um blogue de uma futura (e esperançosa) jornalista, que vê na escrita um refúgio para os bens e para os males da vida.

Upside Down

Um blogue de uma futura (e esperançosa) jornalista, que vê na escrita um refúgio para os bens e para os males da vida.

Entrevista a Pedro Chagas Freitas

Há uns dias fiz um post a falar de uma entrevista surpresa que iria ser publicada brevemente. Demorei mais do que o previsto, mas aqui está a tão esperada entrevista a.... Pedro Chagas Freitas. É isso mesmo, tive a oportunidade e a honra de entrevistar um dos meus escritores preferidos. 

Espero que gostem da minha primeira entrevista!!

 

 

_DSC0565-Edit.png

 

Pedro Chagas Freitas é um escritor português, autor do grande êxito Prometo Falhar. Se quiserem saber mais informações sobre o entrevistado, podem consultar AQUI um post que fiz no qual consta uma pequena biografia do mesmo.

Passemos, então, às questões e respetivas respostas:

 

P: Como surgiu o seu interesse pela escrita?

R: A escrita está comigo desde que me lembro de mim. E está como uma necessidade. Tenho de escrever. Sem escrever não sou eu. Falta qualquer coisa. Um dia sem escrever é um dia vazio. Sem escrever fico desabitado.

 

P: O que o inspira a escrever?

R: Não acredito na inspiração – isso é desculpa de preguiçoso. Acredito na nossa capacidade de lutar contra as nossas limitações, contra as nossas insuficiências. E o segredo é simples: ler muito, escrever muito, comparar muito. Só assim se consegue libertar mais a mão.

 

P: Qual foi o livro que mais gostou de escrever? 

R: Talvez o “in Sexus Veritas”, por ser o mais extenso e por me ter mostrado que a disciplina e o método podem fazer milagres. Escrevi, religiosamente, dez páginas por dia – custasse o que custasse. E assim consegui criar aquela obra de 1500 páginas – ao fim de 150 dias. Basta fazer as contas, não é? Mas todas as obras são especiais ao nível da escrita. E é esse o fascínio da coisa. 

 

P: De que forma é importante a utilização do Facebook para divulgação do seu trabalho? 

R: É fundamental. Creio que a Internet é um meio de divulgação fundamental para qualquer artista – e quis, desde o começo, explorar esse meio. Hoje qualquer criador tem de o fazer. Sem pudores. Sem medo.

 

P: Editou, em 2014, um livro que ainda se encontra no top de vendas nacional - "Prometo Falhar". É importante saber falhar?

R: É essencial não nos levarmos muito a sério. Sabemos que somos falíveis mas temos a mania que podemos ser perfeitos. Tentei, nessa obra, desconstruir essa ideia – deixar as pessoas mais libertas para serem pessoas. E por isso falíveis. Graças a Deus. Sem a falha isto seria tudo uma seca.

 

P: Este ano será lançada a sua próxima obra. Há alguma informação que possa disponibilizar, para satisfazer a curiosidade dos fãs?

R: A obra será lançada em muito breve – será um romance e mais qualquer coisa. Sabe-se lá o quê... Será escrita num registo bastante intimista, como “Prometo Falhar”. E mais não digo.

 

 

E então, gostaram das perguntas e respostas? Como principiante gostaria de receber o vosso feedback, de forma a poder melhorar nos aspetos em que possa estar menos bem.

Aproveito para agradecer publicamente a Pedro Chagas Freitas por se ter mostrado tão pronto a colaborar e, também, por ter perdido algum do seu tempo a responder às questões de alguém que, no fundo, se está a estrear nesta área. A prontidão e vontade de ajudar é fundamental para quem está a tentar, sozinha, criar currículo e experiência.

BIOGRAFIA: Pedro Chagas Freitas

 

Pedro Chagas Freitas nasceu em Guimarães, a 25 de setembro de 1979, e é um escritor português.
Formou-se em Linguística na Universidade Nova de Lisboa e começou por ser chefe de redação da revista Estádio D. Afonso Henriques.
Escreveu para vários jornais, nomeadamente A Bola e o Desportivo de Guimarães. Foi editor e chefe de redação do jornal Global Minho & Porto e redator do jornal Inside. Trabalhou, ainda, na área da escrita publicitária, na agência de publicidade Motive.
Em 2005, publicou a sua primeira obra literária - Mata-me -, seguida de O Evangelho da Alucinação.
Coordena sessões de escrita criativa, bem como seminários e workshops na mesma área.
Em 2010 estrou-se em rádio, apresentando o programa Ensaios sobre a imbecilidade e, em 2012, na televisão, sendo o autor e apresentador de uma rubrica de literatura, no canal MVM.
Ainda nesse ano, colocou em prática o seu primeiro curso de escrita criativa realizado através do Facebook.
Autor do best-seller Prometo Falhar, tem feito sucesso em todo o país, com a sua forma única de escrever e a sua capacidade de "brincar" com as palavras. Esta obra, lançada em Abril de 2014, ainda se mantém no top de vendas a nível nacional.

 

“Metade da felicidade consiste em conhecer os nossos limites. E a outra metade consiste em desrespeitá-los.” Pedro Chagas Freitas

 

 

Admiro Pedro Chagas Freitas pela forma como consegue dizer com as palavras certas aquilo que sinto. Pela forma como brinca com as palavras, consegue arranjar novas definições para aquilo que já está definido, tocando, assim, o coração dos seus leitores. Aconselho-vos a ler Prometo Falhar, sem, contudo, procurarem uma história com início e fim, pois não é essa, na minha opinião, a essência do livro.